Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Estaleiro Wilson Sons abrigou o maior guindaste do país para sua primeira revisão técnica programada.

Encomendado pela Constremac à holandesa IHC Fundex, no ano de 2011, o FPD5000 é um dos maiores equipamentos para cravação de estacas em obras de infraestrutura portuária offshore. Após passar por uma revisão técnica, equipamento está novamente habilitado para grandes obras no Brasil.

Em seus 8 anos de intensa atividade, o superguindaste FPD5000 já possui um curriculum considerável de realizações, que proporcionaram resultados acima do esperado em obras no Brasil: Outeirinhos/Santos; VLI/Cubatão; Suzano-DP World/Santos;  APM/Itajaí, além de outras intervenções de apoio.

“O conjunto Constremac/CTC I, como é conhecido nosso equipamento, é capaz de fazer a cravação de estacas em alto-mar e com elevado grau de precisão, proporcionando consideráveis ganhos de produtividade e redução de custos para as obras de nossos clientes”, afirma o Vice-Presidente da Constremac Construções, Fernando Graziano.

O conjunto é formado pelo superguindaste FPD5000 e pelo martelo hidráulico SC150, acoplados a uma balsa. Uma torre com 50 metros e uma lança de 30 metros permitem ao Conjunto Constremac erguer e cravar em alto mar, estacas com 40 m ou mais de comprimento, diâmetro de até 1,20 m e peso de 40 toneladas. Um sofisticado sistema de guias permite o posicionamento preciso de estacas na vertical ou em ângulos de inclinação de até 1:3, para frente ou para trás. A cravação se dá por meio de martelo hidráulico de 25 toneladas. É possível cravar até 18 estacas/dia em dois turnos de trabalho.

A balsa possui 18 x 60 m e comporta em sua proa o guindaste que, por meio de trilhos se movimenta a uma distância de até 20 metros. O sistema de ancoragem, que totaliza 15 toneladas, permite total estabilidade nas operações. A balsa ainda conta alojamento, cozinha e refeitório para 12 pessoas, além de oficina e ferramentaria.

A revisão técnica do Conjunto Constremac/CTC I

Para o Gerente de Engenharia da Constremac, Rodrigo Melo, a parada programada de 44 dias foi importante, não somente para o atendimento de requisitos legais estipulados pelos órgãos fiscalizadores, como a Marinha e outros das empresas certificadoras.

“A área de manutenção de frotas da Constremac fez um brilhante trabalho de revisão, avaliando pontos de melhoria, revitalizando alguns elementos que irão aumentar a vida útil do equipamento e, certamente, tornando-o otimizado para os novos desafios que já estão saindo do papel”.

As principais medidas da revisão técnica programada foram: avaliação da estrutura interna e externa do casco da balsa; revisão das válvulas e caixa mar; revitalização da pintura do casco, costados, convés principal, guindaste e torre de cravação e, por fim, a ampliação do plano de anodos. Com essas medidas, a próxima manutenção a seco do casco/docagem, está programada para 2030.

A Wilson Sons Estaleiros

A Wilson Sons, dirigida por Adalberto Luiz Renaux Souza, é o maior operador integrado de logística portuária e marítima no mercado brasileiro. A empresa é líder também no mercado de rebocagem marítima, com uma frota de rebocadores e PSVs (Plataform Supply Vessel) construídos em estaleiro próprio, localizado na cidade do Guarujá/SP.

Focada em manter a qualidade e excelência de seus equipamentos, a Constremac Construções firmou acordo comercial com a Wilson Sons para que a revitalização do Conjunto Constremac/CTC I, fosse submetida aos mesmos procedimentos técnicos e de qualidade aplicados pela Wilson Sons na fabricação de seus rebocadores e PSVs.

“Foi um acontecimento interessante”, ressalta o Vice-Presidente da Constremac, Fernando Graziano. “Nós havíamos sido contratados para construir o Estaleiro Wilson Sons no Guarujá e, após seis anos, o nosso cliente é que se tornou nosso fornecedor, um prestador de serviços de qualidade para a Constremac”, completa. 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp